sexta-feira, 28 de março de 2008

Por te querer...

{E pra que palavras se eu não sei usá-las????
Cadê a palavra que traga você daquela calçada????
Você atravessou a rua na direção contrária...
Você na direção errada e eu na sua...
É como se a correnteza fosse parada...
E tudo, mais tudo, mais tudo fosse igual a nada....}
.
.
> Sabe que às vezes a vontade de te persuadir e mudar o rumo das coisas é tão grande que eu tenho ganas de sair pela madrugada, correr até a tua casa e golpear a porta até ela se arrebentar toda. Te mostrar quem realmente sou e aonde pretendo chegar com estes meus joguinhos infantis pra chamar tua atenção. Na verdade, eu tenho vontade que tu perceba o quê escondo além desta casca que separa meu eu real daquele estrategicamente construído, que disfarça suas impressões para não se machucar quase sempre que te vê.
.
> O eu superficial, aquele que fala besteiras, te faz rir, faz pose e vive descuidadamente na brincadeira gosta de mostrar o quanto não se importa com o fato de tudo a minha volta não ser bem como o desejado. Ele gosta de passar por ti e fazer de conta que tu é só mais um desses meninos que estão no meu caminho. E este é o eu que tu vês.
.
> Já o eu real, que quer te dizer tudo que está engasgado pedindo pra sair, que nota cada ínfimo movimento vindo do teu corpo, se revolta a cada palavra que ouve sair da tua boca. Se encanta com cada frase descuidada tua. Mesmo cansado de te querer inexitosamente, ele segue cuidando teus gestos como se fossem códigos a serem desvendados. O que ele realmente deseja é poder te responder a altura. Ele quer ser para ti metade do que tu é pra ele.
.
> Mas eles concordam em uma coisa: Ambos ficariam felizes em se apaixonar. Por outro.
.
> Contudo, foram nos ínfimos erros do desejo que isto se tornou impossível. Numa coletânea deles, combinado com os acasos da vida. Agora, acorrentada a um monte de coisas que tu significa pra mim, eu me sinto tão frágil e fraca que mal posso tentar te esquecer. E no meu duelo interno, fico no meio do caminho, lidando com todas estas pessoas. Louca pra te fazer perder a cabeça, louca pra te esquecer na próxima esquina.
.
> E é durante esta anarquia interna que o meu eu superficial sempre me convence de poupar minhas perguntas e fugir dos devaneios, devido a falta de respostas. Usa de suas artimanhas, diz ironicamente para eu ir até onde tu estiver e quebrar minha cara (mais uma vez). Ele ri da forma patética que tu existe pra mim. E é assim, me colocando como a pessoa mais ridícula do mundo, que ele me deixa ali, estática toda vez que tu surge pra me avassalar. E daqui, então, não saem meias-verdades. Daqui não sai é nada.
.
> Sim. O que ouves são formas de me iludir e me convencer que tu nunca irá perceber que quem eu realmente quero é você.
.
.
(...Eu só queria saber a palavra certa pra chamar tua atenção e trazer teu coração dos cantos perdidos desta cidade...)
___________
.
Tipo assim...
.
> Parabéééns aos noivos! Que eles sejam muito felizes!! Que o amor e a felicidade deles continue não cabendo em suas vidas a ponto deles precisarem dividir com todos a sua volta, pois quando encontramos casais assim é que temos a certeza que 'o amor da tua vida' pode sim existir. E que duas pessoas podem e devem acreditar no bom e velho 'felizes para sempre', mesmo que este 'sempre' se renove a cada sincero 'eu te amo'.
.
> Uns beijos pra todo mundo que me deixa assim, cheia de vontade de roubar pedaços seus pra mim.

Um comentário:

Miguel Vianna disse...

Oi maninha!!! Que saudades de ti! Tu estás escrevendo cada vez melhor! Tu vais conseguir ele não te preocupa! Manda ele ler o teu Blog! HeHeHe! Te amo! Saudades! Maninho que TU amas muito!