quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Lições sobre as inflamáveis.

{E hoje paro pra pensar
no que me importa
se o tempo não for mais voltar
Boa noite, Cinderela.}
> Sabe o que é o mais triste de tudo?? É que eu nunca acreditei verdadeiramente neste teu jeito, mas eu sempre achei as tuas tentativas de convencimento algo divertidinho.
.
> E eu ainda acho engraçadinho quando lembro que tu tentou me fazer acreditar que isto poderia existir nos homens. Mas, na verdade nua e crua, eu nunca relamente viajei na possibilidade de tu não ser mais um baita gurizão neste mundo de gurizões.
.
> Sim, a grande verdade é que vocês só tem tamanho, e independente da fachada as máscaras sempre tendem a cair, cedo ou tarde. E, meu caro, se tentavas disfarçar em meio a atitudes aparentemente "bonitinhas", é bom que tu saibas que nada disto me convence. Nem me encanta.
.
> Isto porque em outros tempos, distante deste presente do qual fazes parte, eu já passei por tudo isto. Já fiz parte de coisas muito piores também. E sim, isto quer dizer que eu sou completamente consciente da minha parcela de culpa, bem como o quão assustadora eu sou por vezes e quão encantadora eu posso ser. Eu sei sim. Mas isto não te exime da tua parcela tipicamente masculina de trouxisse existencial latente. É típico. Masculino. E totalmente previsível.
.
> Mas, sabe, o teu maior azar não é o fato de eu já estar calejada pelo tempo e nada me surpreender ao ponto de me entregar de corpo e alma a esta coisa que vivemos. O teu maior azar é que eu também aprendi com esses longos anos de coração queimante e loucuras sentimentais a ser aquilo que mais me convém. É que nós, mulheres loucas e insanas, aprendemos mais rápido que as outras. Nós damos a cara à tapa bem antes e talvez por isso aprendemos rapidamente a entender os sinais masculinos. E, pasme, sabemos fazer igualzinho a vocês. E é exatamente por isso que eu vim te dizer que podes ir brincando, mas no fundo quem vai sair queimado é tu.
.
> Sim. Eu sei que tu já percebeste que realmente eu sou fogo.
.
> Então prepara teu extintor, se o que tu queres é brincar. Ou então eu te faço uma listinha de meninas com corações frágeis, mornos e lúdicos pra tu quebrares com estes teus tão clichês encantos.
.
___________________
Entããão...
.
* E tudo que eu precisava ouvir me foi insistentemente dito neste último mês, entretanto por bocas alheias a tua.
.
* Mas resta a certeza de que um dia isto há de mudar: eu ouvirei novamente as mais belas palavras, contudo elas serão feitas de um material muito parecido com aquele que compõe o querer de dois corpos, a razão de dois corações; e não do vazio inconsistente da indiferença. E, ao contrário do que imaginas, sei que não serão pronunciadas pela tua boca maldita. Entretanto isto de nada importará. Pois o passado do qual farás parte estará dentro de uma caixa lacrada, na qual eu pretendo mexer jamais.


* Bom dia, vida real!

3 comentários:

Mia disse...

Meu Deus, que desabafo!!! Chega a fumacinha sobe =P

=**

E'Dú" disse...

olha ,
obrigado por me dar a honra de ler um comentário seu.
obrigado boa sorte pra ti também

Cacá Ravizzon disse...

Pequena, sempre é bom te ler. Tenho duas dicas pra te dar:
Uma, se for pra comprar livro da Fernanda Young, leia "Cartas para Alguém Bem Perto". Acho que vais amar, assim como eu.
Duas, cuida pra não te queimar. Tu és muito preciosa pra se machucar nessa brincadeira.
Bacci e una buona giornatta.